USA: DUAS MANEIRAS DE PEDIR O SEU VISTO DE ESTUDANTE

No meu email, no meu instagram e no meu canal no youtube, uma das perguntas mais feitas é:
”Oliver, eu quero muito ter a experiência de morar nos EUA, e o visto de estudante é uma das minhas opções. Você pode me ajudar com isso?”
Alguns são jovens, em busca de uma aventura, ou de melhorar o currículo, outros são pessoas mais velhas, buscando uma maneira de se aperfeiçoarem. Mas, sem dúvida, a maior parte das pessoas que me pedem ajuda têm mesmo é o desejo de fugir do Brasil e passar um período respirando ”ar puro” em um país menos problemático que o nosso.

Nesse último caso, embora o visto de estudante não te dê permissão para viver para sempre nos EUA, eu diria que é uma boa maneira de começar a vida nesse país e deixar as portas abertas para uma futura possibilidade de se legalizar, de outra maneira.
Se você está entre esse grupo que quer saber como tirar seu visto de estudante, veja abaixo algumas informações importantes para você compor seu planejamento.

PRECISO DE VISTO PARA ESTUDAR NOS EUA?

Sim! De acordo com o site de imigração, você não pode se matricular em um curso de ensino, sem o status de estudante. É verdade que, muita gente, vêm com o visto de turismo e se matricula em cursos de curta duração, ou aulas em Bibliotecas, que oferecem cursos grátis e aulas de conversação, mas não achei no site da imigração (https://www.uscis.gov/) nenhuma especificação de permissão de estudo, nesse caso.

Sendo assim, você possui duas opções:
1º – Pedir seu visto diretamente do Brasil, contactando uma assessoria ou a própria escola e fazendo o processo todo, do brasil
2º – Ir para os EUA com o visto de turista e, caso mude de ideia lá, alterar seu visto de turista para o de estudante, estando dentro do território americano.

Falando da vantagem e desvantagem de fazer cada um, eu citaria o seguinte:
Fazendo o processo do brasil, você tem a vantagem de chegar os custos todos em mente, com acomodação garantida e o carimbo de estudante, estampado no seu passaporte. Isso vai te permitir sair dos EUA, sem ter que se preocupar, nas férias da sua escola.
A desvantagem fica para o fato de que, fazendo isso do brasil, você vai precisar encarar uma entrevista ”cara-a-cara” com o consul. O que não é problema, se seu processo for bem montado. Mas fica sempre aquele medo de ser negado porque você ficou nervoso e acabou se enrolando em alguma resposta.

Por outro lado, se você estiver dentro do território americano, você não precisará fazer uma entrevista. Todo o seu processo será avaliado remotamente, pelo departamento de imigração americana. É só uma opinião pessoal, mas tenho a ideia que a aprovação, nesse caso, seja mais tranquila, porque na maioria dos casos, a negação de qualquer visto se dá por causa do comportamento da pessoa que está pedindo.

A desvantagem, nesse caso é, pedindo o visto, estando dentro dos EUA, resultará em uma ”alteração de status” e, por tanto, seu passaporte continuará com o carimbo da sua entrada, que terá sido com fins de turismo. Isso significará que você não deverá deixar o país, até o fim dos seus estudos, já que, saindo para um período de férias, por exemplo, pode te trazer problema na hora de entrar de novo e ter que explicar para a imigração todo o ”rolo” que se sucedeu até ali.

POSSO TRABALHAR, COM VISTO DE ESTUDANTE?

Essa é outra pergunta muito feita pelos meus seguidores. A resposta pronta é, técnicamente não. Isto porque, você só pode trabalhar, legalmente, a partir do seu segundo ano de estudo, respeitando-se algumas regras, e, dentro do campus da escola.

‘Oliver, então significa que eu não poderei trabalhar nesse período para pagar meus custos?”

Pois é, infelizmente, legalmente, não.

”Mas eu conheço um amigo que está com o visto de estudante e ele trabalha e inclusive comprou até um carro novo e está guardando dinheiro.”

”Também conheço um Youtuber que falou que eu consigo sim trabalho e que ele próprio trabalha.”

Sempre vem esse tipo de objeção. A realidade é que, eu não posso incentivar ninguém a fazer nada ilegal dentro dos EUA e sempre digo para quem quer que seja, seguir as regras do país. Esse é o mundo ideal. Mas o que acontece, na realidade, é um pouco diferente. Muitos estudantes, não possuem grana para se manter aqui pelo período que estão estudando. Afinal, o custo de vida é em Dollar , e ganhamos em Real. (Essa é a parte onde meu bolso chora… 😞).

Por isso, as pessoas que você conhece que estudam nos EUA e possuem algum tipo de renda, fazem trabalhos que, no Brasil, as pessoas costumam chamar, na minha visão, erroneamente, de ”subempregos”: Construção Civil, Delivery’s, Limpeza, Bares e Restaurantes e etc. Acontece que, pela lei, elas não podem trabalhar. Mas a realidade é outra e eu não sei muito bem como isso funciona, mas aparentemente não possuem restrições e nem sofrem, pelo menos que eu já tenha ouvido falar, qualquer tipo de fiscalização.

Eu também não entendo como as empresas desses ramos conseguem contratar pessoas sem permissão de trabalho, mas acho que isso envolveria pagamentos em dinheiro, pagamentos com custos de impostos já deduzidos, ou qualquer coisa desse tipo.

A realidade, sem hipocrisia, é que isso funciona muito bem, de forma que, esses setores são dominados por imigrantes não documentados e pessoas sem permissão de trabalho . Dessa forma, os empregadores possuem acesso a mão de obra mais barata, e os imigrantes conseguem fazer uma boa grana, pagando seus custos e, em alguns casos, até guardando dinheiro. Até quando esse sistema, lastreado pelo nosso tão amado Mercado Capitalista e seu fenômeno de Demanda e Oferta, funcionará, só Deus e o tio Trump sabe. Mas até aqui, tem feito individuos de todo o lugar do mundo, felizes e satisfeitos.

A gente se vê num próximo post. Tamo junto, é nóis e fui!

*Esse artigo não tem a intenção de incentivar nenhuma pessoa a cometer ilegalidades nos EUA. Busque sempre a maneira legal de imigrar.
Next PostRead more articles

Deixe uma resposta